Líder na compra e venda seguras de relógios de luxo desde 2003

Glossário de relojoaria

A
Acabamento ("Finissage")

Conjunto de operações finais no acabamento do movimento do relógio, conferindo à peça uma decoração nobre. Entre os acabamentos mais célebres, contam-se as Côtes de Genève, a "perlage" ou o efeito raio de sol. O azulamento ou a "anglage" são também acabamentos muito comuns.

Aço inoxidável

Liga metálica que possui um certo grau de pureza, sendo muito utilizado na relojoaria pela sua elevada resistência à corrosão.

A indústria relojoeira utiliza maioritariamente o aço tipo 316L, por ser superior em termos de resistência à corrosão atmosférica e em ambientes marinhos. Contudo, existem inúmeros relógios produzidos com o aço 904L, principalmente utilizado pela Rolex. Trata-se de um tipo de aço com um elevado teor de cromo e níquel, mais resistente à corrosão, à humidade e aos ácidos.

Ajuste rápido da data

O ajuste rápido da data realiza-se comodamente através da coroa. Nos movimentos com uma data tradicional, é necessário que os ponteiros das horas efetuem duas voltas completas ao mostrador para passar ao dia seguinte.

Algarismos luminescentes

Os algarismos luminescentes estão revestidos por um material luminoso que brilha no escuro. Durante muitos anos, o material aplicado era o rádio e o trítio, materiais radioativos. Hoje em dia, a substância mais usada é a Super-LumiNova, um material não radioativo. Possui pigmentos fotoluminescentes à base de aluminato de estrôncio, que acumulam a luz do sol ou a luz artificial, reemitindo-a depois no escuro.

Âncora

Peça do escape (de âncora) com dois braços cuja forma recorda uma âncora de um barco. Esta peça une a roda de escape ao eixo do balanço-espiral e recebe o impulso da roda de escape, transmitindo parte da força motriz ao balanço. Paralelamente, liberta um dente de cada vez da roda de escape durante a rotação do balanço.

Anglage (chanfradura)

Tipo de acabamento decorativo que consiste em limar as arestas de alguns componentes do movimento (como por ex. as pontes) para se obter um ângulo oblíquo (bordo chanfrado) que, no final, é polido. Idealmente, o ângulo deverá ser de 45º.

Asas

Nas braceletes de metal, as asas são o elemento que liga a bracelete ao relógio através de barras de mola. As asas geralmente são fabricadas à medida para cada relógio e não podem ser mudadas.

Azulamento

Processo térmico levado a cabo a 300 °C que permite conferir a cor azulada a peças de aço. Os relojoeiros utilizam esta técnica para embelezar ponteiros, parafusos e outros componentes do movimento do relógio. Trata-se de uma técnica muito utilizada pelas manufaturas germânicas situadas na localidade de Glashütte, na Saxónia.

B
Balanço

Peça que regula a marcha das engrenagens do relógio mecânico. Tem uma forma circular e contém no seu interior a espiral. Em muitas definições, estas peças são consideradas como um conjunto, o chamado sistema oscilante balanço-espiral. O balanço assume a função do pêndulo de um relógio de parede: é ele que oscila e produz o célebre tiquetaque. Contudo, o balanço de um relógio de pulso oscila muito mais rápido do que um pêndulo. Atualmente, o balanço de um relógio mecânico pode alcançar uma frequência de 21.600 ou 28.800 alternâncias por hora, ao passo que um pêndulo apenas cumpre 3.600 A/h. A precisão do relógio depende do número e da regularidade das oscilações. O escape fornece gradualmente a energia da espiral ao balanço, fazendo-o andar de um lado e dividindo o tempo em partes exatamente iguais.

Baquelite

Polímero sintético que foi desenvolvido pelo químico belga Leo Hendrik Baekeland no início do século XX. Este material resistente ao calor foi utilizado no fabrico de volantes para automóvel, rádios, telefones ou pegas de frigideiras e panelas.

Bar

Unidade de medida para medir a pressão que a atmosfera exerce sobre uma determinada superfície. A pressão atmosférica pode também ser medida em atmosferas (atm) ou pascal (Pa).

1 bar = 100 kPa = 0,1 MPa

1 bar equivale à pressão atmosférica sobre a superfície terrestre ou à pressão exercida pela água a 10 m de profundidade.

Baumuster

Termo alemão que designa o tipo de fabrico e desenho do mostrador dos relógios de observação fabricados originalmente para a força aérea alemã durante a Segunda Guerra Mundial. Existem dois tipos: Baumuster A e Baumuster B.

Bicolor

O termo bicolor refere-se a relógios que combinam o aço e o ouro. Alguns modelos populares são o Rolex Submariner ou o Longines HydroConquest.

Bicompax/Tricompax

Número de submostradores (ou totalizadores) presentes no mostrador de um cronógrafo. Normalmente, encontram-se às 3 e às 9 horas (Bicompax). Os cronógrafos com uma disposição Tricompax apresentam três submostradores que, em regra, estão posicionados às 3, 6 e 9 horas. Alguns dos relógios mais conhecidos deste estilo são o Eberhard Contograf, com uma disposição Bicompax, e o Rolex Daytona, com uma disposição Tricompax.

Botões de rosca

Tal como a coroa de rosca, os botões de rosca estão firmemente aparafusados à caixa do relógio. Este mecanismo garante uma melhor estanquidade da caixa. Os botões de rosca utilizam-se geralmente em cronógrafos estanques até uma maior profundidade, como o Sinn 203.

Bracelete NATO

As braceletes NATO foram criadas originalmente para uso militar. Tradicionalmente, são de nylon, embora existam também em pele. A sua principal característica é serem contínuas, ou seja, a bracelete passa sob as asas e fica debaixo do relógio. A vantagem é que, em caso de quebra de uma das asas do relógio, a caixa continua presa pela outra asa e o relógio não cai do pulso.

C
Calculador do ângulo de deriva

Função que permite calcular o ângulo de deriva – um desvio do rumo programado devido a ventos laterais – e ajustar a rota. Os relógios que dispõem desta função são utilizados sobretudo no mundo da náutica ou da aviação. Um dos relógios mais conhecidos com esta função é o Hamilton Khaki X-Wind.

Calibre

A palavra calibre designa o movimento do relógio. Muitas vezes, surge acompanhada de uma combinação de números como, por exemplo, "calibre ETA 2824-2".

Cerachrom

Tipo de cerâmica desenvolvida e patenteada pela Rolex. O material high-tech é extremamente duro e resistente aos riscos. Alguns dos relógios Rolex equipados com uma luneta de Cerachrom são o GMT-Master II e o Submariner.

Complicação

Função adicional de um relógio como, por exemplo, fases da lua, cronógrafo, alarme ou calendário perpétuo. As complicações são uma importante componente da arte relojoeira, sobretudo quando estão reunidas várias funções num relógio.

Compressor – Super Compressor

Marca registada que designa um método específico de selagem utilizado nas caixas produzidas pelo fabricante Ervin Piquerez S.A. (EPSA), em meados dos anos 1950. Utiliza a pressão da água à qual a caixa do relógio está submetida em maiores profundidades para a pressionar contra o anel vedante "O-ring". Quanto maior for a profundidade, maior é a pressão exercida, o que resulta numa melhor estanquidade. O Longines Legend Diver é um relógio muito apreciado com este tipo de caixa.

Coroa de rosca

Diz-se de uma coroa que se encontra aparafusada à caixa. Este dispositivo garante uma maior estanquidade ao relógio, em comparação com as coroas convencionais. O Rolex Oyster foi o primeiro relógio a ser dotado de uma coroa de rosca, em 1926.

Côtes de Genève

Padrão ondulado decorativo, muito comum na alta-relojoaria e utilizado para embelezar o movimento ou o mostrador.

Cronógrafo

Designação atribuída a um tipo de relógio que permite medir determinados espaços de tempo. Muito utilizados em eventos desportivos, geralmente, os cronógrafos têm dois botões ao lado da coroa e ainda contadores (ou totalizadores) que indicam a acumulação do tempo em minutos e horas. Os segundos são lidos através de um ponteiro central dos segundos. Entre os cronógrafos mais famosos conta-se o TAG Heuer Autavia e o Omega Speedmaster.

Cronógrafo duplo

Ver cronógrafo rattrapante

Cronógrafo flyback

Os cronógrafos com função flyback permitem fazer regressar o ponteiro do cronógrafo ao zero e retomar instantaneamente uma nova contagem com um simples carregar de botão. Tradicionalmente, a função cronográfica requer que se pressionem três botões: paragem com o botão de cima, retorno ao zero com o botão de baixo e recomeço com o botão de cima. A função flyback foi originalmente concebida para facilitar o manuseamento por parte dos pilotos da aviação militar e era utilizada para coordenar de forma mais precisa a execução de manobras consecutivas.

Cronógrafo rattrapante

Tipo de cronógrafo mecânico que permite medir tempos parciais. Para isso, dispõe de um segundo ponteiro acoplado ao ponteiro do cronógrafo que, após a contagem dos segundos, pode ser travado, recuperando (do francês,"rattrape") instantaneamente o atraso de modo a juntar-se ao outro. Ao pressionar o botão de partida, os ponteiros arrancam em simultâneo. Ao carregar num botão especial, um ponteiro trava para determinar um tempo intermédio, enquanto o outro prossegue a sua marcha. Voltando a pressionar o mesmo botão, o ponteiro que parou recupera instantaneamente a sua posição colada ao outro ponteiro, prosseguindo ambos a contagem até serem imobilizados e remetidos a zero.

Cronómetro

Relógio de alta precisão cujo movimento é testado por um organismo oficial independente. Os mecanismos que satisfaçam os critérios de precisão previstos na norma ISO 3159 recebem um certificado oficial de cronometria, geralmente atribuído por um organismo oficial como o Controlo Oficial Suíço de Cronómetros (COSC). Na Alemanha, foi criado o Centro Alemão de Verificação de Cronómetros, situado no observatório astronómico de Glashütte, e o Instituto de Medição e Calibração da Turíngia (LEMT) que também oferece este serviço.

D
Dubois Dépraz

Fabricante especializado em complicações relojoeiras. A Omega utilizou no Speedmaster Reduced Automatik o calibre 3220 que integrava o módulo cronográfico 2020 da Dubois Dépraz.

E
Escala taquimétrica

Os cronógrafos desportivos costumam apresentar uma escala taquimétrica na orla do mostrador. Esta permite determinar a velocidade média de um veículo, cronometrando o tempo necessário para se percorrer um quilómetro. Por exemplo, se percorrer um trajeto de 1 quilómetro em 28 segundos, a escala taquimétrica irá indicar que a sua velocidade é de 130 km/h. Alguns dos relógios mais célebres dotados desta escala são o Omega Speedmaster Professional e o Rolex Daytona.

Escala telemétrica

Alguns cronógrafos possuem uma escala telemétrica na orla do mostrador. Esta permite medir uma distância em quilómetros com base na velocidade do som. Por exemplo, início da cronometragem quando se avista um relâmpago e paragem da cronometragem quando se ouve o trovão. O ponteiro do cronógrafo indica, na escala telemétrica, a distância em quilómetros que separa o observador do local onde ocorreu o fenómeno. Em artilharia, esta escala permite determinar a que distância se encontra um canhão, calculando o tempo entre o estrondo e o clarão do disparo.

Escape

O mecanismo de escape é o órgão regulador do relógio mecânico e desempenha duas funções essenciais: por um lado, converte a energia da corda para manter o balanço em movimento; por outro, controla a velocidade com que a corda do relógio é desenrolada, travando e libertando a âncora a uma velocidade controlada.

A maioria dos relógios de pulso modernos utiliza o escape de âncora suíço, que é composto por três peças: o balanço-espiral, a âncora e a roda de escape. Esta última encontra-se diretamente ligada à roda dos segundos, em cujo eixo se encontra o ponteiro dos segundos. Sempre que se dá uma oscilação, o balanço acciona a âncora, que por sua vez faz avançar regularmente a roda de escape. Portanto, no caso de um movimento com 28 800 alternâncias/hora (4 Hz) a roda do escape avança um espaço entre dois dentes a cada quarto de segundo, ou seja, oito vezes por segundo.

Escape coaxial

Inventado pelo relojoeiro inglês George Daniels nos anos 1970, o escape coaxial surge como alternativa ao escape com âncora suíço. O seu nome deriva do facto de possuir duas rodas que se movem e engrenam num mesmo e único sentido de rotação, o que faz com que exista menos atrito entre as partes em movimento, para além de ser uma solução que necessita de menos manutenção e lubrificação. A Omega desenvolveu o escape coaxial, produzindo-o em série em finais da década de 1990. Atualmente, a grande maioria dos calibres dos modelos da Omega são equipados com este sistema de escape.

Espiral

Pequena mola enrolada em espiral, que se encontra presa nas extremidades ao balanço e à ponte do balanço (galo). Atualmente, o Nivarox é o material mais utilizado para o seu fabrico, embora seja também fabricada em materiais antimagnéticos como a cerâmica ou o silício. Em conjunto com o balanço, é o sistema oscilante do relógio, enrolando-se e desenrolando-se várias vezes por segundo e marcando o ritmo da oscilação do relógio.

Espiral Breguet

Inventada por Abraham-Louis Breguet em 1795, a espiral Breguet apresenta uma curva terminal na última volta que possibilita o movimento concêntrico, ou isócrono, da mesma, o que aumenta a precisão cronométrica do relógio.

Estanquidade

A resistência ou estanquidade de um relógio à água mede-se em bares (pressão do ar) e, geralmente, os fabricantes indicam a profundidade equivalente em metros. Este valor pode causar alguma confusão, dado que um relógio que indique ser estanque até 30 metros, por exemplo, não é adequado para nadar, e é apenas resistente a salpicos. A maior parte dos relógios de mergulho são estanques até 200 m, ou seja 20 bares. Contudo, a estanquidade de um relógio não é afetada apenas pela pressão da água, mas também pelas diferenças de temperatura que podem deformar os seus componentes, resultando numa menor capacidade de vedação e consequente entrada de água. A causa mais comum é quando o relógio é exposto a temperaturas baixas na água depois de ter estado ao sol. É importante levar o relógio a um relojoeiro certificado regularmente e efetuar revisões e substituição dos vedantes. Se a água penetrar no relógio, surgirá de forma condensada no vidro do relógio, o que pode significar que o relógio não tem arranjo.

ETA SA Manufacture Horlogère Suisse

Um dos maiores produtores de relógios e movimentos do mundo. Esta empresa faz parte do grupo Swatch.

F
Fases da lua

Os relógios com esta complicação indicam as fases da lua como vistas a partir da Terra numa janela do mostrador. As quatro fases da Lua (lua nova, quarto crescente, lua cheia, quarto minguante e retorno à lua nova) equivalem a uma lunação, que dura 29 dias, 12 horas, 44 minutos e 2,806 segundos.

Fecho da bracelete

O fecho da bracelete garante que o relógio fique bem seguro no pulso e é normalmente feito de aço inoxidável ou outros metais. Existem diferentes tipos de fecho:

Fecho de fivela

O fecho de fivela é um tipo de fecho utilizado em correias em pele. A parte mais comprida da correia é dotada de pequenos orifícios, ao passo que a outra parte possui a peça de metal em forma de "U" que constitui a fivela. Tal como num cinto, a fivela pode ser ajustada ao comprimento desejado.

Fecho de báscula duplo ou fecho Butterfly

Os fechos dobráveis duplos abrem-se de ambos os lados, permitindo assim uma abertura mais ampla da bracelete. São concebidos de forma a cobrir o mecanismo de fecho, o que cria o efeito visual de uma bracelete contínua, especialmente no caso das braceletes de aço inoxidável. Nas correias de pele fica apenas à vista a alavanca de fecho. Para abrir o fecho, pressiona-se um botão lateral.

Fecho de báscula

O clássico fecho dobrável é geralmente usado em braceletes de aço inoxidável. Um exemplo bem conhecido é o fecho Oysterlock da Rolex.

Fundo em vidro

A grande maioria dos relógios de alta gama é dotada de um fundo em vidro de safira ou mineral, através do qual é possível contemplar o movimento.

G
Gauss

Unidade de indução magnética no sistema eletromagnético. O nome deriva do cientista alemão Carl Friedrich Gauss. Os fabricantes de relógios utilizam esta medida para indicar a resistência do relógio a um campo magnético, sem que este sofra danos. Alguns dos mais célebres relógios antimagnéticos são o IWC Ingenieur, o Rolex Milgauss e o Omega Seamaster Aqua Terra 15.000 Gauss.

GMT

Sigla de Greenwich Mean Time, ou seja, o tempo relativamente ao Meridiano de Greenwich, latitude 0º. Durante muito tempo esta foi a hora mundial de referência até ser substituída em 1972 pelo UTC (Universal Time Coordinated). Ao contrário do GMT, o UTC não é definido pelos astros.

Um relógio com função GMT indica a hora local e um segundo fuso horário. Relógios famosos com esta função são o Rolex GMT-Master e o Glycine Airman.

I
Indicação de reserva de marcha

Dispositivo próprio dos relógios mecânicos, sejam de corda manual ou automáticos, cuja função é a de informar o tempo que resta de autonomia ao relógio, antes de necessitar de corda.

Índices

Elementos no mostrador que normalmente servem de referência aos ponteiros para indicar os intervalos de tempo. Regra geral, o mostrador possui 12 índices para indicar as horas e 60 índices para exibir os minutos. Os índices podem ser pintados, serigrafados ou aplicados no mostrador, sendo, por vezes, luminescentes.

L
Largura entre as asas

Distância entre as duas asas. É esta que determina a largura da bracelete.

Luneta

Do francês, "lunette". O mesmo que aro ou bisel. A luneta é um aro colocado no lado exterior do mostrador e pode ser giratória ou fixa. Os relógios de mergulho possuem uma luneta giratória unidirecional graduada, que permite calcular os tempos de imersão. Os cronógrafos geralmente possuem uma luneta fixa com uma escala taquimétrica para calcular a velocidade média de um veículo. A maioria das lunetas é fabricada em metal ou em cerâmica.

Luneta giratória

A luneta é um aro que rodeia o mostrador e o vidro do relógio. Os relógios de mergulho ou de piloto são geralmente dotados de uma luneta giratória.

Os relógios de mergulho são dotados de uma luneta graduada que só pode ser rodada no sentido oposto ao dos ponteiros do relógio, para garantir que o mergulhador nunca altere inadvertidamente o tempo de mergulho. Antes de se iniciar o mergulho, é necessário girar a luneta e ajustar o zero da escala aos ponteiros dos minutos, o que permite controlar o tempo que resta na botija de oxigénio. Os relógios de piloto possuem geralmente uma luneta giratória bidirecional.

M
Manufatura relojoeira

A designação de manufatura relojoeira está reservada aos fabricantes de relógios mecânicos que produzem os seus próprios mecanismos relojoeiros e outras partes essenciais do relógio. Algumas das manufaturas de relógios conhecidas são a A. Lange & Söhne, a Rolex e a Seiko.

Massa luminescente

Rádio

O isótopo de rádio Ra 226 é um elemento químico radioativo. Devido às suas propriedades luminescentes, foi utilizado nos mostradores dos relógios até à década de 1960.

Super-LumiNova

Marca de pigmentos luminescentes de nova geração. Na relojoaria, esta massa de cor verde é sobretudo aplicada nos ponteiros, índices e algarismos. Armazena a luz que recebe durante o dia e depois emite-a na ausência de luz, fazendo com que os ponteiros e os algarismos brilhem e permaneçam visíveis no escuro. A sua duração é elevada, mas a capacidade de absorção da luz vai diminuindo gradualmente ao longo do tempo. A Super-LumiNova é um dos materiais mais utilizados na indústria relojoeira, embora existam fabricantes que utilizem outros materiais com características muito semelhantes. Ao contrário do trítio e do rádio – amplamente usados nos anos 1960 – a Super-LumiNova é feita à base de uma forma não radioativa de estrôncio e alumínio, que garante também a sua durabilidade.

Trítio

O trítio cujo símbolo químico é T ou ³H, é o isótopo radioativo do hidrogénio. Este material, misturado com tintas contendo sulfato de zinco, foi utilizado como material luminescente em substituição do rádio até meados da década de 1990.

Master Chronometer

Designação apenas atribuída aos relógios certificados pelo Instituto de meteorologia METAS, depois de passarem por uma rigorosa bateria de testes que garante a sua elevada precisão cronométrica. A Omega utiliza este teste para os seus Master Chronometers. Estes são dotados de um escape coaxial, possuem certificação COSC e resistência a campos magnéticos de até 15 000 Gauss.

Mecânico manual

Neste tipo de movimento, a corda é carregada manualmente através da coroa do relógio que, ao ser girada, coloca a mola principal sob tensão, transmitindo a energia necessário ao mecanismo.

Mecanismo de corda

Os relógios com mecanismo de corda têm de receber corda à mão, sendo necessário girar a coroa, para que a mola se enrole e armazene a força e, à medida que se for desenrolando, permita que o movimento funcione. Os relógios de bolso antigos precisavam de uma chave para dar corda ao mecanismo. Mais tarde, esta foi substituída pela coroa. No caso dos relógios automáticos, é a massa oscilante, ou rotor, que desempenha esta tarefa.

Mola de corda

Peça responsável por armazenar e fornecer a energia a um relógio mecânico. Encontra-se alojada no interior do tambor e carrega-se de forma manual ou através de um rotor, no caso dos relógios automáticos. Para evitar que a energia cinética seja transmitida de forma descontrolada às rodagens e ao balanço, o relógio possui ainda um escape.

Moonwatch

O Moonwatch é o nome por que é mundialmente conhecido o Omega Speedmaster Professional que Buzz Aldrin levava no pulso, sobre o fato espacial, quando foi o primeiro ser humano a pisar a superfície da Lua em 1969. A referência 311.30.42.30.01.005 é considerada um Moonwatch clássico, que a Omega produz até à data.

Mostrador com decoração guilhoché

Mostradores gravados à mão ou à máquina, apresentando linhas que se cruzam para obter um efeito decorativo. Alguns dos mais famosos relógios com mostrador guilhoché são o Audemars Piguet Royal Oak e o Maurice Lacroix Aikon.

Mostrador com decoração guilhoché feita à mão

Os mostradores com decoração guilhoché gravada à mão apresentam linhas e padrões irregulares que se cruzam para se obter um efeito decorativo.

Mostrador tropical

Designa um tipo de mostrador que sofreu descoloração devido ao efeito prolongado dos raios solares, fazendo com que, por exemplo, um mostrador preto desbote e se torne acastanhado. Alguns dos relógios particularmente apreciados entre colecionadores são o Sea-Dweller ou o Submariner da Rolex.

Movimento automático

Nos relógios com movimento automático, a corda é fornecida ao movimento através de um rotor (ou massa oscilante) colocado, em regra, no centro do movimento. O movimento do braço da pessoa que está a usar o relógio faz com que a massa oscilante se incline na mesma direção, acionando uma série de rodas que culminam no tambor. Este, por sua vez, vai carregar a mola principal. Existem rotores unidirecionais e bidirecionais, conforme oscilam apenas num ou nos dois sentidos e todos têm um dispositivo que permite desligar quando toda a corda já foi dada.

O
Ouro Everose

Liga em ouro rosa de 18 quilates exclusiva da Rolex. A sua elevada percentagem de platina faz com que este material precioso possua um brilho mais duradouro do que o ouro comum. A sua característica cor rosa deve-se ao cobre.

Ouro Sedna

Liga de ouro de 18 quilates de tom avermelhado, produzida pela Omega. É composta de ouro, cobre e paládio.

P
Parachrom

A espiral Parachrom-Breguet (ver também espiral Breguet) é um desenvolvimento patenteado pela Rolex. Esta espiral é feita numa liga exclusiva, composta maioritariamente de nióbio e zircónio, selada por uma camada de óxido. O termo "Parachrom" deriva dos termos "paramagnético" e "cromo".

Pequenos segundos

Indicação que permite a leitura dos segundos num submostrador que se encontra descentrado no mostrador. Esta solução é muito utilizada nos relógios de bolso, nos relógios de corda manual e nos cronógrafos. Os relógios que não dispõem de pequenos segundos indicam os segundos através do ponteiro central dos segundos, montado no mesmo eixo dos ponteiros das horas e dos minutos. Um dos movimentos mais conhecidos com pequenos segundos é o Unitas 6497.

Pino/barra de mola

Um pino ou barra de mola é a peça usada para segurar a bracelete/correia às asas do relógio.

Punção de Genebra

Selo de certificação de qualidade e origem concedido exclusivamente a movimentos relojoeiros fabricados, montados e regulados no Cantão de Genebra. Tradicionalmente, o selo era gravado com um punção sobre o metal do movimento, porém, atualmente, é gravado com recurso a uma nova técnica de nanotecnologia denominada "gravação de nanoestruturas", um processo que permite a aplicação do selo em peças mais delicadas e garante uma melhor definição dos contornos. O selo é atribuído unicamente a relógios mecânicos e estes devem cumprir os doze requisitos técnicos estabelecidos pelo Bureau du Poinçon de Genève. Oito membros acreditados pela Comissão do Gabinete do Estado de Controlo de Genebra são responsáveis pela atribuição da certificação. A Cartier, Vacheron Constantin, Roger Dubuis e Chopard são algumas das marcas que ostentam esta certificação de excelência.

R
Referência (número)

Todos os relógios possuem um número de referência que permite identificar um determinado modelo. O número de referência é extremamente útil quando se procura um relógio específico.

Regulação fina

Procedimento que serve para garantir a elevada precisão de um relógio, durante o qual este é regulado em diversas posições e temperaturas. Os cronómetros são testados em cinco posições e expostos a três temperaturas diferentes a fim de satisfazerem os requisitos das entidades oficiais de controlo de relógios.

Regulação fina de pescoço de cisne

Tipo de regulação fina que é feita através de uma mola cuja forma lembra o pescoço de um cisne. Este sistema garante uma regulação do movimento com margens de precisão de poucos segundos, daí o termo "ajuste fino". A manufatura A. Lange e Söhne utiliza este mecanismo nos seus relógios.

Regulamento Swiss Made

O regulamento Swiss Made estabelece quando é que um relógio pode ser classificado como Swiss Made. Desde 2017, para que um relógio possa ostentar a indicação Swiss Made tem obrigatoriamente de ter 60% da produção e montagem final realizadas na Suíça.

Rehaut

O "rehaut" (em francês, rebordo) é um aro no interior do mostrador sobre o qual assenta o vidro do relógio. Geralmente, é aqui que é gravada a escala taquimétrica ou outras escalas.

Relógio antimagnético

O mecanismo dos relógios antimagnéticos não para mesmo quando submetido à influência de campos magnéticos com uma determinada força. O relógio deve manter uma precisão mínima, de acordo com a norma ISO 764.

Relógio com calendário

Relógio com indicação de calendário. Algumas variantes são:

Indicação do ano

Indicação que permite visualizar o ano corrente no mostrador do relógio.

Indicação da data

A data pode ser indicada por meio de ponteiros (ponteiro da data) ou através de números numa janela situada no mostrador. Tanto o ponteiro como o disco da data com os números do mês efetuam uma volta completa de 360° todos os 31 dias. Nos meses com menos de 31 dias, é necessário corrigir a data manualmente.

Indicação Day-Date

Este indicador exibe, para além do dia do mês, também o dia da semana. A janela para o dia da semana costuma estar posicionada às 12 horas ou ao lado da data às 3 horas. O Rolex Day-Date é um dos relógios mais famosos com este tipo de indicação.

Calendário perpétuo

Uma das mais nobres e complexas complicações em relojoaria. Um relógio com calendário perpétuo indica os dias do mês e o ano, com base no calendário gregoriano e só necessitará de ser acertado manualmente no ano de 2100. Este tipo de calendário muda a data no final de cada mês, incluindo o dia 29 de fevereiro nos anos bissextos.

Calendário triplo

Função que exibe no mostrador o dia do mês, o dia da semana e o mês. Quando combinada com a das fases lunares, é denominada de calendário completo.

Calendário anual

Complicação relojoeira que exibe o dia do mês, da semana e o mês, requerendo uma única correção manual por ano. Esta correção é efetuada no final do mês de fevereiro.

Relógio de forma

Tipo de relógio que não possui a tradicional forma redonda. Uma das mais emblemáticas formas de relógio é a chamada forma de almofada.

Relógio de hora universal/mundial

Os relógios com horas universais ou horas do mundo possuem um disco com o nome das cidades representativas de pelo menos 24 fusos horários. Através da coroa ou de um botão, é possível selecionar um determinado local que representa um fuso horário. A hora correspondente é lida através de um ponteiro.

Relógio de mergulho

Tipo de relógio ideal para a prática de desporto ou de mergulho. Deve obedecer às normas vigentes ISO 6425 e apresentar uma estanquidade mínima de 10 bares, ou seja, 100 metros de profundidade. Alguns dos elementos imprescindíveis num bom relógio de mergulho são uma estanquidade de 20 bares (200 m de profundidade), ponteiros e índices luminescentes e uma luneta giratória graduada. Esta só pode ser rodada no sentido oposto ao dos ponteiros do relógio, para garantir que o mergulhador nunca altere inadvertidamente o tempo de mergulho. Os relógios de mergulho profissionais são estanques até 1.000 m de profundidade e vêm equipados com uma válvula de escape de hélio.

Relógio de piloto

Os relógios de piloto surgiram no início do século XX e são, tal como os relógios de mergulho, muito populares atualmente entre os apreciadores de relojoaria. O seu design inspira-se muitas vezes nos instrumentos do painel de bordo das aeronaves. Entre os fabricantes mais conhecidos de relógios de piloto contam-se a IWC, a Hanhart, a Tutima e a Sinn.

Relógio de quartzo

Os relógios de quartzo albergam no seu interior um cristal de quartzo que gera a energia necessária para o seu funcionamento. Geralmente, este cristal recebe corrente elétrica através de uma pilha ou energia solar e oscila a uma frequência de 32 768 Hz. A frequência de oscilação constante do cristal converte-se num sinal eletrónico que é dividido em unidades de tempo de um segundo. O circuito elétrico ajusta a frequência de oscilação e encarrega-se de pôr em movimento os ponteiros do relógio. Na década de 1970, os relógios de quartzo fabricados na Ásia conquistaram o mercado mundial graças aos seus preços acessíveis, provocando uma crise relojoeira que ficaria conhecida como a crise do quartzo.

Relógio esqueletizado

Relógio cujas pontes e platina são privadas de todo o metal estruturalmente supérfluo, tornando visíveis do exterior todos os órgãos do movimento, graças também à eliminação do mostrador. São intrincadas obras de arte difíceis de fabricar.

Repetição

De "repetir" sonoramente as horas. Vem do tempo em que, à noite, a única luz artificial era a das velas, o que tornava difícil ver o mostrador do relógio. Diz-se de um relógio com "sonnerie" a pedido, ou seja, um relógio que faz soar o tempo mediante o acionar de um botão ou de uma alavanca que coloca em movimento um mecanismo que faz soar vários timbres (geralmente, as horas surgem num tom mais grave, os quartos de hora em tons graves e agudos e os minutos num tom agudo). Existem cinco tipos de repetições: dos quartos de hora, dos dez minutos, dos cinco minutos, dos meios quartos de hora e dos minutos simples. Os relógios com esta complicação exigem uma enorme mestria relojoeira, pelo que são peças caras.

Repetição de minutos

A repetição de minutos é uma complicação acústica que faz soar as horas, os quartos de hora e os minutos ao acionar-se um botão. O som é produzido por minúsculos martelos e gongos. Trata-se de uma das mais raras e sofisticadas complicações da alta-relojoaria.

Reserva de marcha

Designa o número de horas de autonomia do relógio, sem que seja carregado manualmente ou através do movimento do braço, no caso dos relógios automáticos.

Roda de escape

Um dos elementos integrantes do mecanismo de um relógio mecânico com escape de âncora. Encontra-se posicionada entre as engrenagens e o balanço-espiral. A ligação entre o balanço e a roda de escape é feita pela âncora. Uma característica da roda de escape são os seus dentes assimétricos.

Rolesor

A Rolex usa o termo Rolesor para designar os relógios que combinam o aço com o ouro. Para designar este mesmo tipo de relógios, a grande maioria dos fabricantes utiliza a palavra "bicolor".

Rotor/Massa oscilante

O rotor, também designado por massa oscilante, é uma peça de metal em forma de meia lua que faz parte do mecanismo de carga dos relógios automáticos. Assim que o relógio é movimentado, a massa oscilante do rotor estende a mola, fornecendo a energia ao relógio.

S
Segundos centrais

Um relógio com segundos centrais tem o ponteiro dos segundos ao centro, no mesmo eixo dos ponteiros dos minutos e das horas. É uma alternativa aos pequenos segundos, que exibem os segundos descentrados num submostrador, geralmente posicionado às 6 horas. Esta solução é geralmente adotada em cronógrafos, cujo ponteiro central dos segundos é destinado à função do cronógrafo.

Sellita

Fabricante suíço de movimentos mecânicos. Os calibres Sellita são usados em inúmeros relógios suíços, em alternativa aos movimentos da ETA. Do ponto de vista técnico, muitos destes movimentos baseiam-se em desenvolvimentos da ETA. Um conhecido movimento de três ponteiros é o SW 200.

Sistema antichoque

Dispositivo de proteção contra os choques que consiste num órgão posto no eixo do balanço para amortizar os movimentos dos pinos do eixo do balanço quando o relógio sofre um golpe forte. Um relógio com absorção de choques deve ser capaz de suportar uma queda da altura de um metro sobre um piso de madeira sem que a sua marcha sofra algum desvio significativo. O sistema antichoque mais comum é o Incabloc. Contudo, algumas marcas utilizam sistemas de fabrico próprio.

Smartwatch

Tipo de relógio com funções semelhantes às de um computador pessoal, que é usado no pulso, como um relógio. Os smartwatches modernos possuem um ecrã tátil e podem ser geridos através de uma app, monitorizando ainda a atividade física ou o batimento cardíaco do portador.

Sonnerie

O sistema de toque da sonnerie é o mecanismo de um relógio mecânico que permite indicar o tempo acusticamente. Compõe-se de timbres ou gongos, onde os martelos batem.

Spring Drive

Tecnologia relojoeira desenvolvida pela Seiko. Tal como nos relógios mecânicos tradicionais, o movimento possui uma mola espiral e um tambor, contudo em lugar do tradicional conjunto composto de roda de balanço/espiral/escape, estes movimentos dispõem de um regulador eletrónico.

Stop-seconds

Função que permite o ajuste rápido e preciso da hora. Ao puxar a coroa, o ponteiro dos segundos detém-se, permitindo acertar a hora com maior precisão. Depois de acertada, basta voltar a coroa à posição habitual para que o ponteiro dos segundos prossiga a sua marcha.

T
Tambor

Peça que contém a mola de corda enrolada. É esta que gera a energia motriz do relógio.

Tambor duplo

Um tambor duplo é composto de dois tambores ligados em série que recebem a energia de um rotor bidirecional, proporcionando assim uma reserva de marcha mais longa.

Tratamento antirreflexo

Película que é aplicada sobre o vidro do relógio, permitindo aumentar a sua transparência e nitidez. Como reduz os reflexos, a legibilidade do relógio é melhor.

Turbilhão

Sistema inventado por Abraham-Louis Breguet, em 1795, para anular as imprecisões dos mecanismos relojoeiros decorrentes da força da gravidade – no tempo em que os relógios estavam sempre na vertical (no bolso, na mesa ou na parede). Breguet conseguiu este feito graças a um dispositivo em forma de gaiola que inclui no seu interior os órgãos de escape e o binómio balanço/espiral, que dá uma volta completa num minuto anulando os efeitos da gravidade. O turbilhão encontra-se sobretudo em peças de valor superior que requerem muita mestria relojoeira.

V
Válvula de hélio

Dispositivo utilizado em relógios de mergulho profissional de grande profundidade. Este tipo de relógio é utilizado por mergulhadores que permanecem longos períodos em câmaras hiperbáricas, onde as moléculas de hélio podem penetrar no relógio sem, contudo, conseguirem escapar de modo suficientemente rápido, havendo o risco de o vidro saltar durante o processo de descompressão. A finalidade desta válvula é a de permitir que o hélio possa escapar da caixa do relógio. Entre os mais conhecidos relógios com este dispositivo contam-se o Rolex Sea-Dweller e o Omega Seamaster Planet Ocean.

Vidro do relógio

Vidro acrílico

Plástico sintético transparente que pode ser moldado a determinadas temperaturas. Este material distingue-se pela sua elevada resistência a quebras, mudanças de temperatura e corrosão. Os pequenos riscos podem ser facilmente polidos.

Vidro Hardlex

Vidro mineral utilizado pela Seiko. Este material é sujeito a um procedimento especial que o torna mais duro e resistente aos riscos do que um vidro mineral tradicional. Em termos de resistência, situa-se entre o vidro mineral e o vidro de safira.

Vidro de hesalite

Designação interna da Omega para Plexiglas. É um material sintético com um custo de produção baixo e é fácil de substituir. Além disso, é mais resistente.

Vidro mineral

Tipo de vidro obtido através do tratamento do vidro normal por processos químicos ou térmicos, que o torna mais resistente aos riscos. Trata-se de um material de preço acessível, que oferece uma maior robustez do que o acrílico, sendo, porém, menos resistente do que o vidro de safira. Pode ser endurecido através de um processo químico.

Plexiglas

Idêntico ao hesalite e ao vidro acrílico

Vidro de safira

Tipo de vidro fabricado sinteticamente. É muito mais duro e resistente aos riscos do que o vidro mineral ou acrílico e, por isso, é usado sobretudo em relógios de luxo.